Português / English

mala voadora

Residência Dining Room Tales

Xan Colman, diretor artístico do coletivo australiano A IS FOR ATLAS, encontra-se na mala voadora para iniciar, com Jorge Andrade, a preparação do espetáculo DINING ROOM TALES.

Depois de ter visto MOÇAMBIQUE, o espetáculo em que Jorge Andrade cria uma biografia ficcional para si próprio, Colman convidou-o para conceber uma edição portuguesa da série DINING ROOM TALES a partir da sua vida – da verdadeira. Neste espetáculo-jantar, Andrade vai cozinhar e, no tempo lento e íntimo da refeição, falar de si. No final, espera-se que todxs se tenham conhecido um pouco melhor. A performance será primeiramente realizada em Melbourne e, depois, em Portugal: no Porto, em Lisboa e em Campilhas.

Em DINING ROOM TALES – projeto da autoria de Xan Colman – propõe-se realizar encontros com o público à volta de uma mesa de jantar. Coleman tem-no feito desde 2011 em partes diversas do mundo. Em cada novo lugar, umx artista local é convidadx para ser anfitrião, para receber xs convidadxs e completar a refeição com a sua performance: partilha um pouco de quem é, da sua cultura e da arte que faz. Pretende-se potenciar aquilo que, nesta circunstância banal – estar à mesa – é propício a um tempo lento, de disponibilidade, de proximidade ou de intimidade (muito diverso da distância que os palcos impõem). O “slow movement” teve início com a alimentação, opondo a slow food à fast food; neste projeto, Coleman volta à alimentação para aproximar-se da ideia de um “slow theatre”. Cada performance é única e irrepetível, não apenas porque varia x artista convidadx, mas também porque a participação do público à volta da mesa é determinante para o curso da conversa.

XAN COLMAN tem uma formação tão transdisciplinar como a sua prática artística, passando pela arte, pelo direito, pela escrita criativa e pelas línguas modernas. É diretor artístico do coletivo A IS FOR ATLAS, criado em 2006, ano em que criou também a performance relacional DINING ROOM TALES, galardoada com prémios e que já circulou, para além de múltiplos lugares na Austrália, por cidades no Japão, Alemanha, Hong Kong, Finlândia, Brasil ou Inglaterra.

A IS FOR ATLAS é uma companhia independente australiana que se dedica à performance. Os seus artistas viajam pelo mundo e pelos ângulos da prática criativa para oferecerem novas experiências ao seu público. Viajam para se apresentarem noutros países e convidaram performers de outros países para virem à Austrália partilhar os seus talentos com a comunidade local. O seu trabalho passa por colaborações em torno de práticas multiformes, práticas de desenvolvimento comunitário, práticas de colaboração intercultural, e colaborações entre disciplinas artísticas e não-artísticas. Trata-se de um trabalho que, declaradamente, se afasta dos dispositivos próprios das salas de teatro, nos quais há uma clara demarcação entre quem vê e quem é visto, entre quem fala e quem é ouvido, entre o evento performativo e a vida “lá fora”, entre o que é e o que não é teatro. Pode dizer-se que as práticas de A IS FOR ATLAS se inscrevem na categoria designada como “relacional”.

Agenda

2 a 10 de Outubro . mala voadora