Português / English

mala voadora

Fausto

5, 6 e 7 de dezembro às 21:00 + 8 de dezembro às 16:00 . Fausto . espetáculo da mala voadora . Centro Cultural de Belém (CCB)

Fausto é um espetáculo site-specific concebido para a comemoração do 25º aniversário do CCB.
 
Fausto parte da intenção de fazer um espetáculo que seja uma obra prima. Um espetáculo inquestionavelmente espantoso, uma invenção imprevisível, um acontecimento magnífico que faça pensar que o mundo não faria sentido sem que ele acontecesse e que, depois dele, nada poderá ser como antes. Um espetáculo verdadeiramente revolucionário. Para cumprir este objetivo, o CCB junta-se à mala voadora para conseguir financiamento junto dos vários ministérios. Rentabiliza-se o edifício arrendando-o ao exército, e oferecendo entretenimento aos soldados. Os doentes sem cama nos hospitais são integrados como figurantes no espetáculo em camas confortáveis. E, para além da Defesa e da Saúde, fazem-se acordos com outros ministérios: a Justiça, a Administração Interna, os Negócios Estrangeiros... Progressivamente, o espetáculo torna-se uma bomba mediática e as televisões mudam-se para o CCB. Aos poucos, todo o Orçamento do Estado é absorvido por este projeto artístico, que acaba por transformar-se numa representação global do país. Uma obra de verdadeiro realismo.
 
Fausto trata da relação entre a ambição artística e a sustentação material dessa ambição, e referencia-se na alegoria da “venda da alma ao diabo” como recurso para a concretização de grandes ambições.
 
Fausto é um espetáculo apresentado no CCB 15 anos depois de a mala voadora ter apresentado, em 2003, o seu primeiro espetáculo – Trilogia Strindberg – na Black Box do CCB. Sentimo-lo também como uma celebração do nosso próprio aniversário.
 
Fausto é um espetáculo cujo título alude ao fausto, no sentido de luxo, na medida em que reclama o luxo que é poder fazer um espetáculo que é, antes de mais, um espetáculo. Esta redundância é a nossa ideia de fausto no teatro. O direito da arte à imprevisibilidade, o direito da arte à invenção daquilo que não existe, o direito da arte a não veicular aquilo que já se sabe ou aquilo que pode ser melhor veiculado noutras linguagens de vocação mais objetiva ou menos especulativa, o direito da arte à ausência de um propósito reconhecível, o dever do Estado e das instituições culturais de proteger tudo isto como parte da sua missão, o dever de não obrigar a arte a ser um serviço social como os serviços sociais, o direito da arte a relacionar-se com o “real” de modos inventados, o direito da arte a inventar – até mesmo – realismos. Celebrar o CCB é celebrar também esta possibilidade que o CCB nos dá, a todxs.
 
Parabéns CCB!

© Imagem: António MV

Ficha

Texto e direção Jorge Andrade com assistência de Maria Jorge . Com Anabela Almeida, Carla Bolito, David Pereira Bastos, João Vicente, Manuel Moreira, Marco Mendonça, Maria Ana Filipe, Mónica Garnel, Tânia Alves, Vítor d’Andrade, Coro Menor (Alda Martins, Alexandre Fernandes, Ângela Cerveira, António Câmara Manuel, Cláudia Borges, Cláudia Brito, Elsa Bruxelas, Fernanda Oliveira, Francisco Duarte, Hugo Bernardo, Inês Rapazote, Isabel Duarte, Isabel Novais, João Ogando, João Regal, Lúcia Pais, Lucy Evangelista, Luís Baptista, Luísa Campos, Manuel Duarte, Manuel Madruga, Maria do Carmo Pinto Coelho, Maria José Campos, Marta Vassalo, Mimi Tavares, Patrícia Raposo, Pedro Lourenço, Ricardo Correia Afonso, Rita Máximo Pestana, Rita Tovar, Teresa Boieiro, Teresa Coelho, Tiago Lourenço, Vera Moreira), G.D.C. Besclore, e ainda Alexandre Moraes, Ana Carina Paulino, Ana Plantier, António Agostinho, Bárbara Bruno, Bernardo Lacerda, Carla Silva, Carlos Vaz, Daniela Serra, Eunice Rocha, Eva Dória, Fátima Barreto, Federica Fiasca, Franz Buhr, Gabriela Passos dos Santos, Gisela Casimiro, Gonçalo Ferreira, Isabel Passos Sousa, Isaías Viveiros, Joana Pialgata, João Malhado, José Matos de Oliveira, Pedro Galhardo, Pedro Rodrigues, Pedro Russo, Ricardo Antunes, Rita Martins, Rui Santos, Yana Loginova e Yu Lin Humm entre outros . Vídeo Other Features com realização de João Gambino . Cenografia José Capela com fotografias de José Carlos Duarte e edição de imagem de António MV . Execução da cenografia Josué Maia, NG5Origami Produções . Figurinos José Capela com assistência de JFD Ideas and Details . Luz Daniel Worm D’Assumpção . Banda Sonora Rui Lima e Sérgio Martins . Coreografia e participação especial Fernando Santos aka Deborah Kristall . Imagem de divulgação António MV . Vídeo de divulgação Jorge Jácome e Marta Simões . Fotografia de cena José Carlos Duarte . Caracterização Cidália Espadinha . Assistentes de caracterização Beatriz Pessoa, Bruno Saveedra, Dennis Correia, Gabriel Pessoa e Sónia Lisboa . Direção de produção Sofia Bernardo . Produção executiva Luna Rebelo e Mariana Dixe . Coprodução CCB/mala voadora . Residência O Espaço do Tempo . Apoio Câmara Municipal de Lisboa, Ginásio Clube de Odivelas – Secção de Andebol, Hospital Garcia de Orta, Marinha Portuguesa, Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, Teatro Experimental de Cascais, Teatro da Garagem, Teatro do Vão, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Nacional de São Carlos, Universidade Lusófona, World Academy . Agradecimentos Banco Alimentar, Casa do Gaiato de Lisboa, Catarina Esteves, Francisco Leitão, Ilídio Silva, Laura Couto, Messe de Oficiais do Exército Português, Monte da Videira, Museu Nacional do Azulejo, Arquiteta Paula Silva.

mala voadora é uma estrutura financiada pelo Governo de Portugal – Ministério da Cultura/Direção-Geral das Artes e associada d'O Espaço do Tempo.

Agenda

5, 6 e 7 de dezembro às 21:00 + 8 de dezembro às 16:00 . Fausto . espetáculo da da mala voadora . Centro Cultural de Belém (CCB)