Português / English

mala voadora

1989 - Túlio Rosa / Beatriz Cantinho

27 de outubro às 18:00 . 1989 de Túlio Rosa / Beatriz Cantinho . work in progress - performance . mala voadora

Há 30 anos atrás Fukuyama anunciava que a história encontrava seu fim no desaparecimento de qualquer ideologia que pudesse fazer frente ao liberalismo econômico, que finalmente estabelecia a nova ordem mundial. As imagens da queda do muro de Berlim eram transmitidas ao vivo, e os relatos das revoluções do leste permitiam imaginar um futuro pleno de possibilidades.

Não por coincidência, 1989 marca também a expansão das redes de informação e o início da internet como a conhecemos hoje. A hegemonia do pensamento ocidental começava a se implementar através da própria estrutura ideológica das redes, a liberdade deixava se apresentar em grafites para finalmente penetrar nos corpos que agora podiam circular livremente.

O futuro que se projetava, no entanto, é radicalmente distinto àquele que hoje vivemos. O próprio embate ideológico parece voltar a emergir, como uma sombra do passado que se infiltra nos discursos do presente, e a chamada cortina de ferro hoje se instala nas periferias do planeta, revelando que os mecanismos coloniais seguem vivos e ativos nos lugares em que a vida tem menos valor. A desaparição dos regimes totalitários no ocidente deu lugar a uma totalidade maior e invisível que parece impedir que a diferença se reconheça, ainda hoje, como possibilidade.

Se o ano de 1989 está na raiz da realidade que hoje experimentamos, que possibilidades se podem abrir num movimento de retorno? De que forma revisitar a história, a materialidade que ela nos deixou, pode ser um recurso potente para pensar o presente? Qual o legado daquelas imagens, dos relatos e discursos que ali se inauguravam? Como podemos redimensionar aquele passado, encontrar nele outro conjunto de relações que possa atualizar um futuro?

1989 é o título provisório do projeto que Túlio Rosa vem desenvolvendo ao longo desse ano, em colaborações diversas com outros artistas, em residências na Espanha (Residencias Paraíso) e Bélgica (Vooruit).