Português / English

mala voadora

Os Justos

A partir da peça de Camus, Os Justos foi o primeiro espectáculo encenado por Jorge Andrade, sem cenógrafo, sem figurinos, sem nenhum técnico a operar o espectáculo, com um programa distribuído dentro de um saco de plástico preto e com um cartaz feito com a fotografia de um caixote. A peça propõe um confronto de perspectivas éticas sobre a morte sacrificial que é motivada por um ideal de transformação do mundo. Estabeleceu-se uma correspondência exacta entre, por um lado, as tentativas efectuadas pelos membros do grupo terrorista no sentido de concretizar o atentado contra o Grão-Duque e, por outro, as tentativas efectuadas pelo colectivo de actores no sentido de montar o espectáculo. Jorge Andrade foi distinguido com a Menção Honrosa do Prémio Madalena Azeredo Perdigão 2004, atribuído pela Fundação Calouste Gulbenkian, pela encenação deste espectáculo.

Ficha Técnica

direcção Jorge Andrade . texto Albert Camus . com Anabela Almeida, Jorge Andrade/Miguel Fragata, Pedro Carmo/John Romão, Pedro Gil e Pedro Martinez/Wagner Borges . colaboração coreográfica Miguel Pereira . música Sérgio Delgado . colaboração dramatúrgica e cartaz Suzana Vaz . fotografia Susana Paiva . financiado por Ministério da Cultura – Instituto das Artes apoio Teatro da Garagem

Agenda

5-6 dezembro 2013 . espectáculo Os Justos da mala voadora . mala voadora.porto